Vitória inesperada de islamistas nas eleições

Nas eleições locais que aconteceram mês passado na Jordânia houve duas surpresas. A primeira ...

28/09/2017 - Por: Isaque Chavier

Nas eleições locais que aconteceram mês passado na Jordânia houve duas surpresas. A primeira foi o baixo número de eleitores – apenas 31% dos 4,1 milhões de eleitores foram às urnas. A outra foi o alto número de votos para os islâmicos. As eleições cobriram os mais de cem municípios e foram as primeiras eleições regionais da história do país.

Além do prefeito, os eleitores tinham que escolher também os membros dos doze conselhos provinciais recém-formados. O objetivo desses conselhos é descentralizar as decisões do governo e dar maior poder aos representantes locais para planejar e aprovar projetos e serviços. O braço político da Irmandade Muçulmana, a Frente de Ação Muçulmana (IAF, sigla em inglês), anunciou que ganhou 76 posições em todo o país, incluindo o governo de três municípios.

Henriette Kats, analista de perseguição da Portas Abertas, diz que há uma mudança impressionante em curso. “A sociedade jordaniana está ficando cada vez mais polarizada entre grupos liberais e radicais islâmicos”, observa. A IAF é conhecida por se opor a medidas que beneficiem as minorias religiosas, como os cristãos. Assim, “é provável que as vitórias das eleições de agosto aumentem a pressão sobre a comunidade cristã”, afirma.