Perseguição continua mesmo após cumprimento de pena

Até ser preso, em 2011, Jaime Tenório participava de uma organização cristã que luta ...

04/09/2017 - Por: Isaque Chavier

Até ser preso, em 2011, Jaime Tenório participava de uma organização cristã que luta pelo direito à educação cristã dentro das comunidades indígenas na Colômbia. Certo dia, líderes tribais tentaram tomar as vacas de uma mulher cristã e ele se posicionou em favor dela. No meio da confusão, alguém bateu nele e ele se defendeu batendo de volta. O conselho indígena da comunidade o acusou de tentativa de assassinato.

A sentença foi de 20 anos, mas o advogado de acusação descobriu que as acusações contra ele eram falsas. Assim, ele foi solto em 2014 e voltou à sua comunidade. No entanto, ele não foi bem recebido lá, onde o acesso de sua família à comida e educação foi negado. Jaime, então, decidiu fugir da comunidade e recomeçar a vida em outro lugar. Mesmo assim, ele ainda teme represálias das autoridades indígenas.

No momento, Jaime e família trabalham com confecção de bolsas e recebem ajuda da Portas Abertas. Três de seus filhos estão na Casa Abrigo Visão Ágape na Colômbia, que é um abrigo para filhos de pastores e líderes cristãos. Enquanto estava preso, também tivemos a oportunidade visitá-lo algumas vezes, levando cartões de encorajamento de irmãos de todo o mundo. Jaime diz que sempre soube que não estava sozinho. Ele agradece aos irmãos pelo apoio espiritual e físico que tem recebido.